7 coisas que você nunca deve fazer na web

Você se preocupa com a sua privacidade online? Quer saber as melhores formas de está seguro? Saiba, a seguir, o que você NUNCA deve fazer na Internet.

 1. Não clique em e-mails suspeitos

 

O e-mail é uma forte fonte de ataque de cibercriminosos e um dos principais canais para a prática de phishing. É importante ter cuidado com mensagens que parecem ser do seu banco e solicitam troca de senha, alertam sobre tentativas de fraude à conta ou oferecem algum seguro de graça, por exemplo.

 

2. Não concorde com os termos de uso das lojas virtuais sem lê-los antes

 

Se você já se cadastrou em um site de e-commerce, provavelmente pulou a leitura de um texto longo, exibido em letras pequenas, e marcou direto a opção “Eu concordo com os termos e condições de uso”.

 

Embora comum entre os usuários da Internet, essa prática é prejudicial à segurança. Isso porque esse documento funciona como um contrato entre o comprador e a loja virtual e é indispensável para a segurança do negócio.

 

3. Não poste fotografias ou vídeos sem autorização das pessoas envolvidas

 

Respeitar a privacidade alheia é uma atitude especialmente necessária no ambiente online. Caso deseje postar uma foto em que aparecem outras pessoas, certifique-se de que elas estão de acordo com a publicação.

 

Se o registro envolve uma criança ou adolescente, a autorização deve ser pedida aos responsáveis. No ambiente escolar, jamais poste fotos ou vídeos dos alunos na Internet.

 

4. Não pratique violência online e denuncie cyberbullying

 

Praticar cyberbullying significa usar o espaço virtual para ofender, intimidar ou hostilizar alguém. Mais comum entre crianças e adolescentes, a atitude pode ser punida pela Legislação Brasileira se for interpretada como crime contra a honra praticado em meio virtual.

 

Uma das formas de coibir o cyberbullying é por meio da denúncia. Para isso, é importante não apenas copiar o link da postagem abusiva, já que ela pode ser deletada posteriormente, mas tirar prints do perfil do agressor e também dos comentários e encaminhar às autoridades responsáveis.

 

5. Não deixe crianças usarem o PC sem controle parental

 

Embora a atual geração de crianças e adolescentes carregue o título de “nativos digitais”, a supervisão dos pais ainda é indispensável para garantir uma navegação segura.

 

Nesse sentido, ferramentas de controle parental, como o SafeSearch, do Google, ajudam os responsáveis a proteger a privacidade dos filhos.

 

6. Não acesse sites fora da sua classificação etária

 

Ao contrário de filmes, séries e jogos, que possuem uma faixa etária recomendada, a Internet não apresenta classificação indicativa para todos os sites.

 

O Ministério da Justiça e a Procuradoria Geral dos Direitos do Cidadão já debateram a respeito da implementação de um sistema de classificações etárias na web, mas, até então não existe nenhuma lei nesse sentido.

 

7. Não use senhas fracas

 

Criar uma senha forte o suficiente para ação de invasores não tem nada a ver com criatividade, e sim com estratégia. Utilize números aleatórios e caracteres especiais, e evite o uso de palavras muito comuns ou de sequências numéricas (1234, por exemplo).

 

Por isso, é importante estarmos unidos e conectados por uma internet mais segura e positiva!

Related posts

Google reafirma que não está tentando impedir o bloqueio de anúncios no Chrome

O Google apresentou uma série de mudanças nos últimos tempos em relação ao Chrome e, depois de rever algumas das propostas para o navegador, agora foi a vez da empresa se manifestar através do engenheiro responsável pelo projeto Chrome....

Leia mais...

Deixar um comentário